sexta-feira, 8 de março de 2013

Mulher da medo

                  (texto em homenagem ao dia da mulher)

                                    mulher da medo


       Que homem nasce ou vive sem mulher?nenhum,somos dependentes desse sexo frágil,somos vítimas do seu amor incondicional, e nós os homens estamos viciados nele,desde de bebes choramos por causa desse amor,ele nos protege e nos acalma,nos da força,e estamos querendo sempre mais desse amor,e é quase divino esse jeito de amar.                                                       
      Mas durante o passar dos tempos as mulheres não só provaram que nós não vivemos sem elas,como também elas provaram que ainda por cima podem superar barreiras e acabaram ocupando lugares que antes só pertenciam a nós homens.Sem falar no poder que elas tem de controlar nossas cabeças,elas sabem como obrigar  um homem a fazer tudo que elas querem,com um simples sorriso ou uma única lagrima,quando isso acontece misturado com uma voz mansa e uma mão macia não tem escapatória,estamos em suas mãos.O pior não é ser controlado é ser controlado por um ser que é praticamente impossível de se desvendar,e se tiver de TPM  então, porque não existe um homem que sabe o que se passa na cabeça de uma mulher nesse período,ainda mais quando ela olha com aquele olhar que parece que ta enforcando você no pensamento, e ai a gente olha pro lado e não sabe o que fez de errado ou o que falou de errado,mas mesmo assim não tem jeito sem elas não temos como viver,se fôssemos só nós  os homens no mundo,ele não duraria muito tempo,ainda bem que temos elas,mas mesmo assim,mulher da medo.
            (por Wenar de Sá Carvalho junior)
      

2 comentários:

Daiane Olímpia Vitor Gonçalves disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Não sei porque damos medo!Hoje em dia não somos mais aquele sexo frágil de antigamente como pensavam os homens,muitas de nós mulheres provamos ser em algumas coisas mais aptas que os homens,ocupamos lugares que antes eram só de vocês homens sim por que lutamos e rompemos barreira que nos impediam de ser e nos tornar independentes e provar que também conseguiamos ter a mesma força no trabalho tanto quanto os homens..Alguns dizem não precisam mas realmente não conseguem viver sem as nós mulheres,não conseguem se sentirem sozinhos sem o aconchego do nosso abraço,sem os carinhos que damos,sem nosso colo de ternura,sem nossos beijos mas principalmente de nossa companhia..Em algumas partes concordo que vocês não nos entendam assim como na tão famosa TPM, mas somos fáceis de entender quando param pelo menos de vez enquando para nos observar bem e tentar pensar como nós,quando se colocam em nosso lugar,na época da TPM não adiantam tentar pois nunca irão entender mesmo kkk..Então repito a pergunta rsrs..Porque damos medo? Somos tão assustadoras assim?

Marisa Corona disse...

Este tema traz de volta a questão do mundo sempre ter sido comandado pela força masculina, enquanto que a feminina ainda permanecia como uma força auxiliar. Desta forma, em princípio é o masculino que sempre “mandou” por isto sempre foi mais forte em tudo. Porém, os tempos mudaram e as mulheres transformaram paradigmas enraizados por séculos e, hoje conquistaram seus lugares na sociedade e também na liderança desta.



Para que isto pudesse ser uma realidade, as mulheres tiveram que competir com os homens e mostrarem que também eram muito capazes e, este modelo de mulher ficou marcado por sua força e independência. Mulheres deste padrão são oponentes ao velho arquétipo da mulher “Amélia”, aquela que é submissa, mansa, de visão acanhada, de ideais nada visionários, em fim, a mulher limitada à velha cultura preconceituosa que determina que lugar de mulher é em casa cuidando do marido e dos filhos.

Na atualidade muitas mulheres têm como individualidade força e independência, não necessitando de um homem que a sustente, pois elas mesmas são suas próprias provedoras. São independentes e livres em tudo o que fazem e necessitam viver assim para poderem evoluir, prosperar e desenvolver seus talentos e seus projetos acompanhando sempre a evolução dos tempos

Porém, isto pode trazer medo e insegurança aos homens ao se relacionarem com este padrão de mulher, pois acabam sendo naturalmente desafiados, principalmente em relação à “autoridade” masculina. Outro ponto importante nesta questão é o controle masculino sobre a mulher, que neste caso é mais complicado, pois sendo a mulher independente, dificilmente ela permite ser controlada. O ciúme é também bastante causador de problemas, pois sendo a mulher independente, de difícil controle, causa nos homens a insegurança, por exemplo, de não saberem onde ela se encontra, o que está fazendo e com quem está, terminando na desconfiança, principalmente quando se trata de uma relação amorosa.

Muitos homens não conseguem lidar com mulheres deste tipo por uma questão de imaturidade emocional. É como se a mulher representasse muitos desafios para eles vencerem em relação ao orgulho e ao papel de “macho” dominante. Muitos chegam a se sentir desrespeitados, como se a força feminina e sua independência os fizesse ter que assumir um papel ao qual não gostam ou não querem. Isto pode estar ligado também à questão da imagem do homem perante os demais de seu grupo.

Muitos homens não se relacionam amorosamente com mulheres que são deste tipo por não se sentirem em condições de lidar com elas, pois não conseguem exercer o controle sobre elas lhes causando insegurança e medo no relacionamento. Devido aos milênios de uma consciência machista, os homens estão despreparados para conviverem com mulheres fortes e independentes numa relação harmônica e sustentada no reconhecimento do valor do feminino.

Ainda há muita competição entre mulher e homem mesmo nas relações amorosas. É preciso mudar os valores de referências em relação à mulher e a força feminina, pois do contrário esta situação não se transformará e as mulheres fortes e independentes continuarão a ter dificuldades com relacionamentos incluindo os amorosos. Ainda bem que não são todos os homens que pensam desta forma e se sentem desconfortáveis na presença de uma mulher deste porte.

Penso que um homem para aceitar a força e a independência de uma mulher necessita ser verdadeiramente homem e não somente “macho”. É preciso que haja por parte dele admiração e reconhecimento à capacidade da mulher e respeito pela sua liberdade, pois afinal ninguém é de ninguém. Penso ainda que os homens necessitam, também, se reconhecerem e se sustentarem na verdadeira força masculina, pois somente assim não se sentirão ameaçados pela força feminina.
E a partir daí pode-se chegar a conclusão o porque de ínúmeras pessoas ( homens e mulheres ) viv erem tão sozinhos...cada vez mais vc encontra pessoas cada vez mais solitárias !!!